Total Pageviews

Wednesday, March 19, 2014

O uruguaio mais atrevido do mundo

Em todos os locais por onde andei, fiquei hospedada em hostel, uma opção que sempre faço por causa das amizades, de poder cozinhar e em terceiro lugar pelo preço - até porque hoje em dia, se procurar bem, encontraria hotel por diária bem semelhante. Mas aí chegaria, ficaria sozinha no meu quarto e dormiria sem conhecer ninguém, o que não quero!
Bueno, nesta viagem optei sempre pelos dormitórios femininos, para não ter que dividir banheiro com homem e nem ouvir roncos durante a noite. Tudo certo, até o ultimo hostel, que fiquei em Pocitos, bairro perto da praia em Montevideo. Neste, o feminino estava lotado, então combinei com o funcionário ficar no misto, mas naquele que tivesse mais mulheres. E na primeira tarde, tudo ok, apenas eu e outra brasileira no quarto. Já de noite, chegou um colombiano, bastante querido e organizado, e por fim, quando voltei do jantar, havia um uruguaio, na dele, também dormindo no nosso quarto.
Na primeira noite já fiquei encafifada com homem que dormiu de cueca no meio da galere assim, sem nenhum constrangimento(sei disso porque ele se levantou com a luz acesa, caminhou até o interruptor e a apagou). Mas fiz que não era nada e dormi.
Porém ontem, precisando de bateria para meu telefone, utilizei o carregador dele, que estava solto na tomada sem nenhum aparelho, e quando ele chegou expliquei que havia esquecido o meu em algum lugar.  Conversamos um pouquinho sobre o que cada um faz da vida, assunto normal de quarto, e ele saiu novamente para seus compromissos. Eu terminei de arrumar minha mochila e desci para beber vinho e socializar com o restante do pessoal que estava lá. Como eu ia embora cedo, fui dormir primeiro. Quando chego no quarto, eu e o uruguaio atrevido, novamente de cuecas.
Ele começa uma conversinha perguntando se tenho namorado, se os brasileiros são cegos (uma vez que não tenho), o que eu acho dos homens uruguaios e por aí vai. Já com a pulga atrás da orelha, respondo de forma indireta e começo a pensar que ele iria tentar alguma coisa. Mas ele silencia, e quando me vê tentar dormir, pergunta se pode apagar a luz, desce do beliche de cuecas como sempre e apaga sem dizer nada.
Dois minutos depois, pergunta se estou dormindo e se pode me fazer uma pergunta. Humpf. Pergunta se eu curto sexo casual, quando digo que não tenta perguntar porque, e para terminar a seqüência, pergunta se não quero levar un recuerdo das férias. Desço enrolada no lençol e peço para meus amigos de quarto subirem comigo. Durmo no sofá enquanto não vem, e só volto ao quarto quando estamos todos lá. 
Hoje pela manhã, aviso a funcionária do hostel, antes de ir embora, que promete advertir o inconveniente. Mas a raiva ainda não passou.


4 comments:

Bah said...

Atrevido mesmo... não tinha como vc trocar de quarto? rs

Kisu!

Cristiano said...

Perigoso isso... muito perigoso.

catarse cotidiana said...

Eu também ficaria insegura em uma situação dessas.
Uma vez fiquei hospedada na casa de uns amigos onde um deles ficava circulando de cuecas pela casa. Perguntei aos outros se isso era normal e fiquei sabendo que não. O exibicionismo era uma estratégia dele para chamar atenção.
O problema é que o tiro saiu pela culatra. Não gostei e até hoje não fico sozinha perto dele.
Beijos e se cuida!

Bruxa do 203 said...

Que cara mais chato!!!!

Blog Archive